.>
Alguns conteúdos desta seção estão disponíveis apenas para quem estiver logado.
Caso tenha acesso, faça seu login aqui

“O segredo da vida é o solo, porque do solo dependem as plantas, a água, o clima e nossa vida. Tudo está interligado. Não existe ser humano sadio se o solo não for sadio e as plantas, nutridas”

A afirmação, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, é de Ana Maria Primavesi, austríaca de nascimento, que adotou o Brasil há mais de 70 anos.

Ana, considerada pioneira da agroecologia no Brasil, faleceu no dia 05/01/2020. Nascida em 3/10/1920, foi criada no campo e formou-se engenheira agrônoma em seu país de nascimento. Durante a Segunda Guerra Mundial,  emigrou para o Brasil com seu marido Artur Primavesi, e  vivendo em diversos lugares, entre eles Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul. 

Ao longo da carreira, Ana Maria acumulou uma extensa produção de textos técnicos e artigos científicos, além de colaborações com a imprensa: publicou 94 artigos científicos no Brasil e em revistas internacionais, escreveu 11 livros e colaborou em inúmeras outras publicações.

Seu trabalho de maior influência é o livro Manejo Ecológico do Solo, lançado em 2002, que revolucionou a agricultura ecológica tropical na América Latina. Nesta obra, salienta a importância de restabelecer o equilíbrio entre o solo, organismos do solo, plantas, animais e seres humanos. 

Pelo seu extenso conhecimento, talento para inspirar pessoas, ideias inovadoras, ações decisivas e explicações espirituosas, Ana teve enorme influência no movimento orgânico da América Latina e,portanto, pertence aos pioneiros globais da agricultura orgânica.

Foi cofundadora de várias organizações como a AAO (Associação de Agricultura Orgânica) e do MAELA (Movimiento Agroecológico Latinoamericano) e desempenhou um papel fundamental na construção da International Federation of Organic Agriculture Movements (IFOAM) na América Latina. Recebeu inúmeros prêmios, e foi a primeira brasileira a receber, em 2012, o One World Award, principal título de agricultura orgânica mundial, conferido pelo IFOAM. O prêmio do MAELA, concedido a cada dois anos, tem seu nome – Ana Primavesi Award.

Ana dedicou a vida a ensinar como é possível aliar a produção de alimentos à conservação do meio ambiente, nunca se esquecendo do pequeno produtor e de suas necessidades.

Quem quiser conhecer um pouco mais do trabalho de Ana Maria Primavesi pode acessar o site dedicado à obra da agrônoma, elaborado por Virginia Mendonça Knabben. Ao falar sobre os 98 anos de sua biografada, Virginia a definiu como “a primeira mulher a afirmar, em um meio exclusivamente masculino, que o solo tem vida.” É “aquela que nos aproximou de nós mesmos pela origem de tudo, a terra, e integrou saberes”.

O seu legado, no sentido de estimular uma agricultura saudável, sistêmica, cuidando da saúde e da vida do solo, terá continuidade pelas mãos de seus filhos, Carin e Odo Primavesi, além de lavradores, pesquisadores, engenheiros agrônomos, técnicos agrícolas, professores e ativistas da agroecologia, inspirados em seus conhecimentos.

Referências:
https://emais.estadao.com.br/blogs/alimentos-organicos/ana-maria-primavesi-virou-semente-em-solo-vivo/
https://razoesparaacreditar.com/brasileira-premio-agricultura-organica/
https://anamariaprimavesi.com.br
https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Cultura/noticia/2019/10/ana-primavesi-tem-producao-reunida-em-site.html
http://aao.org.br/aao/ana-primavesi.php
https://www.facebook.com/anamariaprimavesi/

 

fechar